HOMEM QUE OBRIGAVA FILHO FAZER SEXO COM A MÃE EM JANAÚBA É PRESO PELA POLÍCIA

um homem de 34 anos foi preso nesta sexta-feira (18) em Janaúba, no Norte de Minas, suspeito de forçar relaxões sexuais entre ele, a esposa e o filho dela, de 10 anos. De acordo com informações da Polícia Civil, o suspeito obrigou, durante meses, que a companheira e o filho dela fizessem sexo na sua frente. A última das agressões, ocorrida nesta quinta-feira (17), foi denunciada pela mãe após o homem forçar sexo a três entre ele, a mulher e a criança. A PC acredita que os abusos tenham ocorrido durante dois anos e meio de relacionamento.

A mulher, de acordo com a polícia, era ameaçada de morte pelo companheiro para que não denunciasse as agressões. Em depoimento, a vítima chegou a mencionar que fazia sexo com o filho sob ameaça de um facão. Ela contou ainda que o abuso pode ter ocorrido mais de 20 vezes. O suspeito já tinha passagens por violência doméstica, roubo e porte de armas, e estava em liberdade condicional. A PC acredita que a vítima tenha se encorajado a denunciar o caso por saber que o companheiro seria preso por quebrar a condicional.

De acordo com a delegada Márcia Miguel Meira, a denúncia foi feita na última quinta-feira, e a prisão foi concedida pelo juiz na manhã desta sexta (18), quando o suspeito foi encontrado no Bairro Padre Eustáquio. “A prisão preventiva foi concedida e, no mesmo momento, a polícia o encontrou na casa dele”, diz a delegada.

A criança já passou por exame de corpo de delito no IML, segundo a PC, que vai indiciar o homem suspeito pelos abusos. A mãe, ainda segundo a polícia, não será investigada, a não ser que fique claro algum indício de omissão por parte dela. “Como ele revela-se perigoso, a justificativa pode ser procedente. Se a polícia percebesse que ela contribuiu ou auxiliou, a mãe passaria a ser investigada. Até então, não há indício algum da autoria dela, portanto, é tratada como vítima. Ele não relatou qualquer omissão por parte dela e negou parcialmente o crime”, explica Márcia Miguel.

O suspeito pode ser condenado a cumprir pena referente ao crime de estupro de vulnerável, que é de 8 a 15 anos de reclusão. De acordo com a PC, a pena pode ser acrescida, caso o homem seja enquadrado, além do código penal, em crime contra proteção de crianças e adolescentes, previsto no ECA.


G1

Categoria:Clube Alerta

Deixe seu Comentário